Antoni Gaudi - O Arquiteto Catalão e seu Legado

Antoni Gaudí - O Arquiteto Catalão
As inquietantes chaminés de La Pedrera ou Casa Milà, Barcelona, ​​​​uma das grandes obras de Antoni Gaudí. Para lhes dar essas formas escultóricas, ele os faz girar sobre si mesmos, seguindo um caminho que obedece ao deslocamento aerodinâmico da fumaça — Foto: Oliver Krenn/Getty Images


Antoni Gaudí é sempre atual (e sua arquitetura modernista também), mesmo 98 anos após a sua morte, cujo aniversário acontece neste mês de junho.
Não poderia deixar passar esta oportunidade de também render minha homenagem a este arquiteto, por cuja obra sou apaixonada!
Gaudi criou uma arquitetura muito peculiar e muito à frente do seu tempo e talvez por isto tenha sido incompreendido por seus pares...
Utilizando-se de formas inusitadas, grandiosas e sempre muito curiosas, ele criou um estilo único e uma linguagem nova. Sua obra parece estar "viva" ao mesmo tempo em que se transforma para ser eternamente atual!

Antoni Gaudí - O Arquiteto Catalão
A sala Hipóstila, no Parque Güell, projetada por Antoni Gaudí, com 86 colunas caneladas inspiradas na ordem dórica moldam um espaço labiríntico e mágico — Foto: Alamy Stock Photo /John Kellerman


Antoni Gaudí - O arquiteto Catalão
As inquietantes chaminés de La Pedrera ou Casa Milà, Barcelona, ​​​​uma das grandes obras de Antoni Gaudí. Para lhes dar essas formas escultóricas, ele os faz girar sobre si mesmos, seguindo um caminho que obedece ao deslocamento aerodinâmico da fumaça — Foto: Oliver Krenn/Getty Images





Antoni Gaudí nasceu no dia 25 de junho de 1852, na costa Catalunha. Gaudí se tornou estudante de arquitetura e se inseriu na análise urbana liderado por Ildefons Cerdà. Sua trajetória artística teve início com composições que traziam blocos geométricos justapostos, com destaque para curvas e uso de arcos parabólicos, o que fugia do tradicional da época.

A rejeição à dureza das linhas retas vinha do sentido religioso que Gaudí atribuía às formas arredondadas. A preferências pelas parábolas era relacionada com a natureza, dando a ela o sentindo da presença de Deus.

“Demos o título a um louco ou a um gênio, o tempo dirá”, retrucou Elies Rogent, diretor da Escola de Arquitetura de Barcelona, ​​durante a formatura de Antoni Plàcid Guillem Gaudí i Cornet (25 de junho de 1852) em 1878. O catalão terminou com um registo regular, incluindo alguns insucessos, mas com uma vasta experiência.

Ele pagou seus estudos trabalhando como desenhista para alguns dos mais prestigiados arquitetos e construtores da época: Joan Martorell, Emilio Sala Cortés ou Josep Fontserè.







Tijolos modelados, metais e cerâmicas coloridas constituiam o trabalho de Gaudí e apontavam para o que formaria as principais características do estilo do artista. O arquiteto preferia criar maquetes, no lugar de desenhos, e moldava detalhes à medida que a obra era feita.

Gaudí também foi fortemente influenciado pelo neogótico, com fortes marcas vindas da arquitetura de Engene Viollet-le-Duc, e por técnicas orientais. O artista catalão chegou a integrar o modernismo espanhol, mas suas técnicas foram além das propostas pelo movimento.








Sua originalidade levou a um estilo próprio, inspirado na natureza e em práticas orgânicas. Gaudí disse muitas vezes que era um estudante de "o grande livro da natureza" e acreditava que "todos os estilos são organismos relacionados com a natureza". Assim como muitos outros artistas do final do século XIX e início do século XX, Antoni Guadí foi incompreendido pela classe da época.










O arquiteto se tornou uma das maiores referências do movimento artístico Art Nouveau, que também é classificado como um período histórico por alguns críticos. As manifestações da Art Nouveu estavam fortemente ligada à 2ª Revolução Industrial, que explodia na Europa de Gaudí. O estilo traz para as artes a introdução de novos materiais e avanços tecnológicos.















Nesse sentido, Antoni Gaudí projetou edifícios com formas e estruturas muito complexas, que estavam a frente de seu tempo. O artista ficou conhecido como o "arquiteto de Deus" e deixou diversos admiradores no Vaticano. O Templo Expiatório da Sagrada Família é considerado a obra-prima do artista.

As obras do conjunto arquitetônico foram iniciadas em 1822. O projeto foi planejado dentro dos padrões do estilo neogótico, mas Antoni Gaudí reformulou os traços quando assumiu a construção do templo. Gaudí trabalhou por 40 anos na obra, mas morreu em 1926, antes de conclui-la.


Igreja Sagrada Família de Antoni Gaudí
A Sagrada Família, basílica católica de Barcelona, ​​foi projetada pelo arquiteto Antoni Gaudí. Iniciada em 1882, ainda está em construção. É a obra-prima de Gaudí e o maior expoente da arquitetura modernista catalã — Foto: Alamy Stock Photo/John Kellerman









Seu trabalho se tornou ainda mais reconhecido ao longo dos anos. Entre 1984 e 2005, sete das suas obras foram classificadas Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Até hoje, o Templo Expiatório da Sagrada Família é um dos monumentos mais visitados de toda a Espanha. As obras de Antoni Gaudí continuam atraindo milhares de visitantes, que vão até Barcelona para conhecer de perto seu legado arquitetônico presente também em outros estruturas, como no Parque Guell, um complexo íngreme jardim com elementos arquitetônicos, e na Casa Batlló, uma mansão na cidade do Passeig de Gracia.










antoni Gaudí o Arquiteto Catalão

Casa Batlló, azulejo reeditado pela Escofet e banco de carvalho da BD Barcelona — Foto: D.R./Corbis/Álbum

Para todas as obras, ele pensou em cada detalhe, desde as maçanetas das portas, passando pelos pisos, até os móveis obcecados pela ergonomia. Foi justamente uma vitrine exposta na Feira Mundial de Paris que chamou a atenção do empresário Eusebio Güell, que se tornaria seu maior mecenas.
Para ele, concebeu alguns pavilhões (1887), um palácio (1890), algumas adegas em Sitges (1897) e o já referido Parque Güell.
Em 10 de junho de 1926, quando Gaudí ia rezar na igreja de San Felipe Neri, em Barcelona, ​​foi atropelado por um bonde da Gran Vía das Cortes Catalanas. O tempo mostrou que as palavras de Rogent eram proféticas: Gaudí era um gênio.



Deixo aqui um video maravilhoso do Arquiteto Franco Di Capua, em que ele mostra detalhes da obra de Gaudi! Aprecie!


                                    



                                                                  
Texto e pesquisa do Google e Casa Vogue






ambientes.ideias@gmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quarto de casal com closet

Vamos Reformar e Construir Com Segurança?

Tipos de Cozinha

Sala de Estar, Jantar e o Canto do Café... Vamos integrar?

Casa nova, novos ambientes...2º Post - Cozinha